Notícias

Prezadas e Prezados, 
 
É com enorme prazer que convidamos para mais uma edição do nosso Seminário de Pesquisa do NEAI. 

Desta vez, contamos que a presença de Elise Capredon, doutora em Antropologia Social pela EHESS (França) e UERJ (Brasil).

Nosso encontro será na Terça-feira 13 de JUNHO as 14H00 na Sala 12 do Núcleo de Estudos da Amazônia Indígena - NEAI, localizado na Faculdade de Direito da UFAM, Setor Norte. 

O tema do Seminário será:

“De prática marginalizada a ferramenta diplomática: a patrimonialização da pajelança entre os Baniwa (Alto Rio Negro)”

Nesta comunicação, pretendo explorar as transformações do xamanismo entre os Baniwa, um povo indígena do Noroeste amazônico cujos membros converteram-se na sua maioria ao cristianismo evangélico em meados do século XX. A partir de uma abordagem que enfatiza a dimensão “dialógica” das atividades xamânicas, descreverei as antigas expressões da pajelança baniwa, as alterações que sofreram devido à difusão do cristianismo evangélico e as tentativas contemporâneas de reabilitação de certos dos seus aspetos através de “projetos de revitalização cultural”. Analisarei especialmente dois projetos: a criação de uma “escola de pajelança” e a realização de um documentário centrado no uso de flautas sagradas. Ao recorrer à noção de “patrimonialização”, que ajuda a pensar os processos de revitalização cultural, tentarei mostrar que através dessas iniciativas, a pajelança baniwa está sendo dissociada de seus antigos usos e transferida para outra esfera social, a área das relações exteriores do grupo, onde é mobilizada principalmente para adquirir prestígio e captar recursos do mundo dos brancos. Sugerirei em conclusão considerar esta nova expressão da pajelança baniwa como um “xamanismo de interface”.