Notícias

Graças a uma articulação do Neai com a distribuidora Gullane e com a produtora Buriti Filmes, bem como com o cineasta Luiz Bolognesi e com o prestigiado Casarão de Ideias, importante ponto de cultura e centro de produção e difusão cultural de Manaus, foi possível que o Casarão de Ideias e a produtora viabilizassem o pré-lançamento do premiado documentário em Manaus com a parrticipação de Luiz Bolognesi para o debate com o público.
 
Premiado no Festival de Berlim com a menção honrosa do Glasshütte Original Documentary Award, "Ex-Pajé" terá pré-estreia em Manaus na quinta-feira 17 de maio. As sessões serão realizadas no Casarão de Ideias (Rua Barroso, 279, Centro) em dois horários: 16hs e 20:30. Além do público poder assistir um dos documentários mais importantes dos últimos anos no cinema nacional, haverá debate com o diretor Luiz Bolognesi após as exibições. Além das exibições com debate o documentário ser a exibido (sem debate com o diretor), também no Casarão de Ideias, no dia 19 de maio, sábado, às 16hs e no dia 20 de maio, domingo, às 17hs.
Quando: 17 de maio 
Onde: Casarão de Ideias. Rua Barroso, 279, Centro 
Horários: 16hs e 20:30
 
Além dessas datas (nas quais haverá debate com o diretor) o documentário será exibido, também no Casarão de Ideias, no sábado, dia 19 de maio, às 16hs e no domingo, 20 de maio, às 17hs.
 

SINOPSE

Os Paiter Suruí, habitantes da terra indígena Sete de Setembro, em Rondônia, atravessaram mais de metade do século XX vivendo isolados. Perpera, o protagonista de Ex-Pajé, tinha 20 anos quando seu povo fez o primeiro contato com os brancos, em 1969. Até aquele momento, Perpera era um pajé poderoso, depositário do saber ancestral de seu povo. Mas, com os brancos, chegou o pastor evangélico que passou a dizer que xamanismo é coisa do diabo.


Perpera vê-se assim obrigado a abandonar sua prática ancestral. O ex-pajé sabe que os espíritos da floresta estão bravos, já que ele não reza mais nem toca as flautas sagradas. Com medo, dorme sempre com a luz acesa. “Antes se consultava o pajé, hoje só tomam aspirina”, diz, contrariado.

Esse novo cenário não condiz, no entanto, com a natureza e a cultura da aldeia e logo acontece algo que coloca em discussão as novas dinâmicas ali instaladas. Quando a morte ronda os Paiter Suruí, o poder de falar com os espíritos pode ser novamente necessário. E os espíritos não falam com as pessoas comuns. 

PRÊMIOS INTERNACIONAIS

68th Berlin International Film Festival - Alemanha (2018)
· Menção especial do júri do Prêmio Documentário Original

PRÊMIOS NACIONAIS

23º Festival É Tudo Verdade (2018)
· Prêmio ABRACCINE de Melhor Documentário de Longa da Competição Brasileira

FICHA TÉCNICA

ELENCO
Perpera Suruí
Kabena Cinta Larga
Agamenon Suruí
Kennedy Suruí (Caciquinho)
Ubiratan Suruí (Bira)
Mopidmore Suruí (Rone)
Arildo Gapamé Surui


ESCRITO E DIRIGIDO POR LUIZ BOLOGNESI

Fotografia: Pedro. J. Márquez
Montagem: Ricardo Farias
Som Direto: Rodrigo Macedo
Mixagem: Armando Torres JR., ABC e Caio Guerin
Assistente de Fotografia: Alessandro Valese (Alemão)
Colorista: Luisa Cavanagh
Assistente de Direção: Carolina Fernandes
Coordenação de Pós Produção: Patrícia Nelly
Coordenação de Produção: Flávia Tonalezi
Coordenação Internacional: Manuela Mandler
Coordenação de Lançamento: Dannielle Alarcón
Coordenação Financeira: Andréa Marcondes
Produção Executiva: Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi

PRODUZIDO POR:
Caio Gullane, Fabiano Gullane, Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi 

Distribuição Nacional: Gullane
Distribuição Internacional: UPSIDE