Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Redes e Parcerias do NEAI
Início do conteúdo da página

Redes e Parcerias do NEAI

Acessos: 203

Redes e Parcerias do NEAI 

 

Ao longo de sua trajetória, o NEAI construiu uma importante rede de parceiros, o que tem sido imprescindível para sua existência e sua vitalidade. Apresentamos abaixo a atual configuração dessa rede e as principais ações que vinculam cada um nessa parceria.

 

 

  1. Universidade de São Paulo (CEstA e MAE)
  • O NEAI mantém um Acordo de Cooperação Técnica (ACT) com o Centro de Estudos Ameríndios (CEstA) da Universidade de São Paulo (USP). Dentre outras ações, o referido ACT garante o intercâmbio de professores e alunos dos dois centros de estudos até o ano de 2022.
  • O NEAI mantém ainda uma parceria com o Museu de Arqueologia e Etnologia da USP através da estudante de doutorado em Arqueologia Laura Furquim (MAE), que integra a equipe do projeto coletivo Pessoas, Plantas e Paisagens na Amazônia Indígena, sob orientação do professor Gilton Mendes dos Santos.

 

  1. Universidad Nacional de Colombia (UNAL/Imani)
  • O NEAI atua como protagonista da parceria entre o PPGAS/UFAM e o Instituto Imani da UNAL, através da coedição e da composição do comitê editorial da revista Mundo Amazônico e das atividades de intercâmbio entre professores e alunos das duas instituições.

 

  1. Universidade de Munique/Alemanha
  • O NEAI/PPGAS firmou com a Universidade de Munique/Alemanha um Protocolo de Intenções que prevê, dentre outras atividades, o intercâmbio de professores e alunos entre as duas instituições. Organizados pelo professor Carlos Machado Dias Jr, desde 2016, os alunos indígenas do NEAI participam, na condição de “palestrantes”, do curso de Etnologia da Universidade de Munique, sob responsabilidade do professor Kaphammer Wolfgang.

 

  1. InfoAmazônia
  • O NEAI mantém uma parceria, através do projeto Pandemias na Amazônia, com a InfoAmazonia, uma rede de organizações e jornalistas que agregam dados e notícias sobre a Amazônia. O projeto Pandemias na Amazônia, coordenado no NEAI pelos professores Thiago Cardoso, Luiza Flores e a estudante indígena de mestrado em Antropologia, Jonilda Hauwer, é um mapeamento colaborativo de narrativas e relatos sobre os modos discursivos e estratégicos dos povos indígenas e comunidades tradicionais em torno das crises epidêmicas e ambientais na Amazônia.

 

  1. Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA)
  • A cada dois anos, os professores Gilton Mendes dos Santos (NEAI/PPGAS/UFAM), Charles Clement (PPGBot/INPA) e Claide Moraes (UFOPA) ofertam o curso Domesticações amazônicas, que conta com alunos de diferentes estados brasileiros interessados na relação histórica entre sociedade e ambiente na Amazônia.
  • O professor Claide Moraes/UFOPA participa também da equipe do projeto Heritage, territoriality, past, present and future perceptions among the Tacana, T’simane and Waiwai, sob a coordenação, equipe brasileira, do professor Carlos Machado Dias (NEAI/PPGAS/UFAM). Este projeto foi encaminhado, como proposta, ao edital “Global Issues Integrating Different Perspectives on Cultural Heritage and Change” neste ano de 2020.

 

  1. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) / Instituto Brasil Plural (IBP) e Grupo CANOAS
  • O NEAI é membro da rede de pesquisadores do Instituto Brasil Plural (IBP), desenvolvendo atividades acadêmicas e de pesquisas. Numa parceria com o Grupo CANOAS, através do projeto “Pessoas, Plantas e Paisagens na Amazônia Indígena”, estão planejados, para o ano de 2021, a realização de um seminário e a organização de uma coletânea de textos dos pesquisadores da rede.

 

  1. Centro de Medicina Indígena Bahserikowi (CMIB)
  • O NEAI participou ativamente da concepção e da implantação do Centro de Medicina Indígena Bahseriko’wi em 2017. Seu idealizador e coordenador principal, o estudante indígena João Paulo Lima Barreto, é pesquisador e membro efetivo do núcleo. O NEAI, através de seus etnólogos pesquisadores, participa do processo de produção de conhecimentos que sustentam as estratégias de ação, bem como do planejamento da política de saúde desenvolvida pelo Centro de Medicina Indígena em Manaus. As principais atividades desenvolvidas no ano de 2019 entre o NEAI e o CMIB foram: a) o lançamento do livro coletivo Omerõ - Construção e circulação de conhecimentos Yepamahsã e da Coleção Reflexividades Indígenas, constituída por quatro volumes de autoria indígena; b) oferecimento do Curso de Língua Tukano, ministrado pelo estudante e pesquisador do NEAI, Gabriel Sodré Maia.

 

  1. Pontifícia Universidad Católica del Perú (PUCP)
  • O Neai, através do PPGAS/UFAM, está participando da consolidação de um Acordo de Cooperação Técnica com o Grupo de Antropologia da Amazônia (GAA) da Pontificia Universidad Católica del Peru a fim de desenvolver atividades de intercâmbio de professores e alunos a partir de 2021.

 

  1. Universidade de Brasília (UnB) e Universidade de Uppsala/Suécia
  • O NEAI integra o projeto Indigenous knowledge traditions: a global cultural heritage under threat, uma rede de pesquisas entre a UFAM/NEAI, a Universidade de Brasilia (UnB), a Uppsala University (Sweden), e o Institute of Social Sciences of the Central Region, Danang (Vietnam). O projeto está em fase de participação em editais de financiamento, previsto para iniciar em 2021.

 

  1. Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (IDSM)
  • O projeto Pandemias na Amazônia conta com a participação da antropóloga e pesquisadora do IDSM, Patrícia Rosa, que também é coorientadora do projeto de pesquisa de doutorado de Luiza Câmpera, pesquisadora do NEAI. A partir dessas iniciativas, o NEAI pretende ampliar sua parceria com o IDSM.
registrado em:
Fim do conteúdo da página